Entenda quais são os princípios da governança corporativa

À medida que uma empresa cresce, com ela aumentam seus processos e a necessidade de melhorar os controles internos. Se desde o começo ela se preocupou em padronizar procedimentos, estabelecer fluxos e em definir controles, é bem provável que as melhorias internas aconteçam de forma natural e gradual. Do contrário, será preciso dedicação dos gestores e da alta diretoria para colocar a casa em ordem.

Para auxiliar na questão dos controles internos, é que muitas organizações adotam a chamada Governança Corporativa (GC), definida como um sistema pelo qual organizações são dirigidas e controladas, com base em princípios que visam a uma gestão com integridade, justiça, transparência e com o cumprimento da legislação pertinente.

A boa governança facilita uma gestão eficiente e eficaz e, por isso, se traduz em valor aos clientes, colaboradores, investidores, sociedade e diversos outros stakeholders. Já que temos abordado o tema da Governança Corporativa em nosso blog, no post de hoje convidamos você a se aprofundar um pouco mais nesse universo e conhecer melhor sobre seus princípios.

 

    Sem tempo para ler agora?
    Faça o download do arquivo em PDF
    (e aproveite para compartilhar com os seus amigos)


    Por que falar dos princípios da Governança Corporativa?

    Dentro da governança, empresas devem criar mecanismos de controle para que todas as ações executadas estejam de acordo com seus valores e em conformidade com questões éticas e regulamentares. Por isso, sua aplicação começa com os profissionais que atuam na organização, uma vez que qualquer conduta que fuja dos bons princípios e valores acaba denegrindo a imagem do todo. E aqui no Brasil nós já temos alguns exemplos com relação a isso, concorda?

    Bom, mas que valores seriam esses? Cada empresa possui seu conjunto de valores. Além deles, a governança estabelece quatro princípios, que são considerados essenciais para um bom sistema de GC. Eles são como pilares, porque fornecem o alicerce que garante uma gestão empresarial íntegra e sem práticas ilícitas, dando a certeza de que os interesses dos stakeholders internos e externos estejam alinhados e, claro, protegidos.

    Quais são os princípios da governança corporativa?

    O IBGC (Instituto Brasileiro de Governança Corporativa) estabelece quatro princípios da governança. São eles:

    • Transparência
    • Equidade
    • Prestação de contas
    • Responsabilidade Corporativa

    Acompanhe cada um a seguir.

    Transparência

    Não é à toa que este é um dos princípios da governança corporativa, já que transparência é fundamental para uma boa relação entre empresa e stakeholders. Pense o seguinte: menos informação, mais incertezas. Portanto, organizações que adotam a boa GC precisam estar cientes de que toda informação deve ser disponibilizada às partes interessadas.

    Por “toda informação”, deve-se entender tudo que for do interesse dos stakeholders – incluindo decisões – e não apenas o que está imposto em lei. Muitos acreditam que a transparência como um dos princípios da governança diz respeito aos relatórios econômicos e financeiros apenas. Mas tenha em mente que tudo que for relevante às diferentes partes interessadas deve ser comunicado.

    O que diz o IBGC sobre a transparência:

    “Consiste no desejo de disponibilizar para as partes interessadas as informações que sejam de seu interesse e não apenas aquelas impostas por disposições de leis ou regulamentos. Não deve restringir-se ao desempenho econômico-financeiro, contemplando também os demais fatores (inclusive intangíveis) que norteiam a ação gerencial e que condizem à preservação e à otimização do valor da organização.”

    Equidade

    Dos princípios da governança corporativa, o conceito de equidade aborda uma relação igualitária entre empresa e seus stakeholders. Isso garante que nenhuma parte interessada seja tratada com privilégios e que práticas e políticas discriminatórias sejam inconcebíveis.

    O que diz o IBGC sobre a equidade:

    “Caracteriza-se pelo tratamento justo e isonômico de todos os sócios e demais partes interessadas (stakeholders), levando em consideração seus direitos, deveres, necessidades, interesses e expectativas.”

    Prestação de contas

    A quebra de confiança por parte de sócios, diretores ou gestores – seja por negligência, atos intencionais, incompetência, omissão de fatos-chave ou adoção de privilégios -, com certeza é causa de conflitos e manchará a imagem da empresa.

    Para evitar que isso ocorra, um dos princípios da governança corporativa que vimos trata da transparência. O outro, a prestação de contas (também conhecida por accountability) aborda a necessidade de que agentes da governança forneçam prestação de contas de todos os seus atos.

    Lembre-se que a prestação de contas é um pilar fundamental da governança corporativa já que, graças a ela, a confiança das partes interessadas aumenta.

    O que diz o IBGC sobre a prestação de contas:

    “Os agentes de governança devem prestar contas de sua atuação de modo claro, conciso, compreensível e tempestivo, assumindo integralmente as consequências de seus atos e omissões e atuando com diligência e responsabilidade no âmbito dos seus papeis.”

    Responsabilidade Corporativa

    O último dos princípios da governança diz respeito à imagem da empresa. A responsabilidade corporativa implica em organizações desempenhando um bom papel no tratamento de seus funcionários, na preservação do meio ambiente, no respeito às diferenças culturais, no comércio justo, entre outros.

    Uma empresa com responsabilidade corporativa impacta positivamente a comunidade e zela pela viabilidade financeira das operações.

    O que diz o IBGC sobre a responsabilidade corporativa:

    “Os agentes de governança devem zelar pela viabilidade econômico-financeira das organizações, reduzir as externalidades negativas de seus negócios e suas operações e aumentar as positivas, levando em consideração, no seu modelo de negócios, os diversos capitais (financeiro, manufaturado, intelectual, humano, social, ambiental, reputacional, etc.) no curto, médio e longo prazos.”

    Concluindo

    O IBGC define como quatro os princípios da governança corporativa: transparência, equidade, prestação de contas e responsabilidade corporativa. Eles são considerados essenciais, pois garantem uma gestão empresarial íntegra e sem práticas ilícitas, além da proteção dos interesses dos stakeholders internos e externos.

    Para a adoção da governança, além dos princípios que vimos aqui é importante você conhecer os papéis essenciais de sua estrutura. Para isso, recomendamos o post: Quais são os papéis essenciais de uma estrutura da Governança Corporativa?

    Esperamos que este artigo tenha sido útil a você. Em caso afirmativo, compartilhe-o com seus colegas. Aproveite que está aqui e acesse o Glicando, o blog da Glic Fàs, e fique por dentro de nossos materiais.

    Créditos imagem: Pixabay por Dimitris Vetsikas

    0 respostas

    Deixe uma resposta

    Quer entrar na discussão?
    Sinta-se livre para contribuir!

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Contate-nos

    Patricia C. Cucchiarato Sibinelli
    • Diretora Executiva
    • Mentoria em gestão de negócios.
    • Tel: (11) 9 9911 0274
    Silvio Luiz Zen
    • Diretor Executivo
    • Mentoria em Gestão de Negócios.
    • Tel: (11) 9 9999 6564