planejamentosucessorio 1

Planejamento Sucessório: sua empresa na próxima geração

Existem diversos motivos que levam uma empresa ao declínio e, na pior das hipóteses, à mortalidade. O mesmo, claro, podemos falar de negócios familiares, os quais estão sujeitos às mesmas tempestades (e bonanças) de qualquer organização. A diferença é que negócios gerenciados por membros de uma mesma família podem enfrentar problemas como:

  • Desavenças familiares não resolvidas;
  • Profissionais não capacitados ocupando cargos de liderança simplesmente porque “são da família”;
  • Não separação do papel familiar com o empresarial; e
  • Falta de um plano de sucessão empresarial.

Poderíamos citar ainda outros motivos, mas como queremos chamar sua atenção para o último ponto, nosso convite é para que você entre conosco na discussão de um tema que significará a diferença entre o fracasso e o sucesso da sua empresa familiar: o plano de sucessão.

O que é Planejamento Sucessório?

Pode ser que você tenha uma empresa que, por acaso, passou a ter as características de uma organização familiar (como contamos neste artigo). Pode ser que você seja um empreendedor que tenha construído um legado já pensando na sua família desde o início. Seja qual for o caso, se você possui um negócio familiar inevitavelmente terá que pensar em respostas para perguntas como:

Quem assumirá o negócio quando você não estiver mais na idade de gerenciá-lo, ou, em caso de eventual problema de saúde? Como a propriedade será transferida? Quem assumirá outros cargos de gerência? A empresa continuará nas mãos da família? Se sim, quem seriam as pessoas capacitadas a assumi-la? O sucessor será da família? Se sim, a pessoa está preparada e/ou é qualificada para assumir o cargo?

É para responder a essas perguntas que toda organização familiar deve se preocupar com o Planejamento Sucessório. Além de garantir o crescimento e a longevidade do negócio, definir a sucessão da empresa familiar é tomar as providências necessárias para garantir que os valores e missão da família, bem como os objetivos estratégicos organizacionais, sejam incorporados para a próxima geração.

Além disso, o planejamento sucessório é fundamental para que a empresa se prepare para o futuro. Negócios familiares tendem a ter uma visão de longo prazo, afinal, 99% dos fundadores de uma empresa familiar têm o intuito de que o negócio perdure para seus filhos, netos, bisnetos e assim por diante. Nesse sentido, é o plano de sucessão que garante que a transição da empresa para a geração seguinte ocorra da maneira mais suave possível.

Por tudo isso dito até aqui tenha em mente que: planejamento sucessório não é uma despesa, mas um investimento na continuidade do negócio.

O que não pode faltar na elaboração do plano sucessório?

Existem algumas etapas-chave para trabalhar com a elaboração do plano de sucessão. Aqui elencamos três:

  1. Defina metas específicas e de longo prazo – tenha um plano estratégico no qual são esclarecidos:
  • plano de crescimento;
  • metas financeiras a serem atingidas;
  • metas de desempenho,
  • objetivos estratégicos a longo prazo, entre outros.

Importante é pensar estrategicamente, ou seja, definir onde o negócio se encontra hoje, para onde ele deve ir amanhã e o que se espera da próxima geração.

  1. Selecione quem assumirá a próxima geração – introduza um programa de desenvolvimento para esses gestores e identifique os papéis ativos e não ativos para todos os membros da família. É essencial pensar em como dar todo o suporte para o sucessor.
  2. Documente tudo: identifique cada sucessor, do líder do negócio a cada gerente, e anote seus papéis e responsabilidades exatos. O planejamento sucessório serve também como um cronograma claro de quanto tempo será preciso para cada sucessão e como a mesma será alcançada. Isso é essencial para que as gerações mais jovens tenham um melhor direcionamento de suas carreiras.

Elaborar o planejamento de sucessão não é algo simples, e aqui apresentamos as principais etapas contidas em qualquer processo de criação de plano sucessório. O planejamento deve ser conduzido pelos membros familiares, mas, como veremos, contar com ajuda externa pode ser fundamental.

Já que apresentamos os principais passos a serem levados em consideração, agora daremos uma ajuda extra:

Dicas para a elaboração do Planejamento Sucessório

Justamente pela importância do tema – e como nos preocupamos com o futuro da sua empresa familiar – elencamos alguns itens que devem ser levados em consideração no plano sucessório:

Comece o planejamento sucessório o mais cedo possível

O ideal é que o plano de negócios da empresa já preveja como será a sucessão. Se esse não for o caso, não se preocupe, mas também não deixe para pensar no assunto amanhã. O fato é que quanto mais tempo você tiver para preparar a empresa para a próxima geração, mais suave será a transição.

Envolva os membros familiares nas discussões de planejamento de sucessão empresarial

A discórdia familiar é um dos principais problemas enfrentados por organizações geridas por membros de uma mesma família. Por isso, elaborar um plano de sucessão sozinho para depois apenas informar os demais é sinal de intrigas na certa. Caso sua empresa não possua um conselho, isso não significa que a sucessão não seja algo a ser discutida abertamente. Abra o diálogo e permita que sejam levados em consideração os objetivos de todos os membros envolvidos.

Olhe para a sua família de forma realista

Você pode querer que seu primogênito assuma o negócio. No entanto, você deve deixar o cargo de pai de lado e pensar como fundador: “ele quer tomar as rédeas da empresa? Seu filho tem capacidade para assumir tal posição, ou tem alguém muito mais preparado e apto do que ele?”.

Pode ser que não exista ninguém na família para ser o CEO da empresa. Nesse caso, você terá que abrir o cargo para alguém de fora, o que não tem problema algum. O importante aqui é não deixar laços de sangue ou envolvimentos familiares falarem mais alto. Lembre-se: seu papel de fundador é olhar o legado com os olhos de um empresário que quer ver a empresa bem-sucedida em longo prazo.

Treine seu(s) sucessor(es) e trabalhe com ele(s)

Foi definido que a empresa será comandada por um membro familiar. O sucessor conhece o negócio? Já foi treinado para administrar? O planejamento sucessório serve também para preparar o(s) sucessor(es) a fim de que ele(s) tenha(m) capacidade para tomar decisões e possua(m) as habilidades de gerenciamento necessárias ao negócio.

Obtenha ajuda externa

Nada como olhos de fora para dar uma visão imparcial e melhor conduzir o planejamento sucessório. Nesse caso, o ideal é contar com ajuda de empresas com profissionais especializados em negócios familiares e que facilitarão o processo por meio de questões de planejamento familiar e de sucessão.

Concluindo

Temos a certeza de que você quer passar sua empresa para a próxima geração, por isso, adiar o planejamento de sucessão empresarial é algo fora de cogitação. Perceba que apesar de se preocupar com a longevidade do negócio, o planejamento sucessório beneficia a empresa no agora, uma vez que ele cria as bases para fortificar a gestão do empreendimento como um todo.

Além disso, um bom plano de sucessão garante que o fundador consiga se aposentar com tranquilidade, sabendo que o negócio está solidificado para prosperar nas mãos da próxima geração.

Esperamos que este artigo tenha sido útil para você e que agora você tenha uma ideia melhor sobre o planejamento sucessório e sua importância. Caso tenha alguma dúvida ou queira saber mais sobre o tema, deixe um comentário ou entre em contato. Fique também à vontade para compartilhar este post com seus colegas.

Créditos imagem: Pixabay por Kaz

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer entrar na discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Contate-nos

Patricia C. Cucchiarato Sibinelli
  • Diretora Executiva
  • Mentoria em gestão de negócios.
  • Tel: (11) 9 9911 0274